Tous les articles et traductions

, por WALLERSTEIN Immanuel

A esquerda mundial após 2011

Outras Palavras

Por qualquer ângulo, 2011 foi um bom ano para a esquerda mundial – seja qual for a abrangência da definição de cada um sobre a esquerda mundial. A razão fundamental foi a condição econômica negativa, que atinge a maior parte do mundo. O desemprego, que era alto, cresceu ainda mais. A maioria dos (...)

, por RIBEIRO Amaury Jr

A Privataria Tucana

Geração Editorial, 2011, 344 paginas, RS 34,90

Prepare-se, leitor, porque este, não é um livro qualquer. Ele nos traz, de maneira chocante e até decepcionante, a dura realidade dos bastidores da política e do empresariado brasileiro, em conluio para roubar dinheiro público. Faz uma denúncia vigorosa do que foi a chamada Era das Privatizações, (...)

, por Carta Maior

O ano do grande naufrágio da Europa

Por Eric Nepomuceno

O que vem pela frente são tempos obscuros, de medidas malvadas que já se fazem sentir. Conquistas sociais asseguradas durante décadas estão ruindo feito castelos de pó. Tecnocratas de coração de gelo e alma vendida assumiram a gestão de países como a Grécia e a Itália. Portugal tomou de vez o caminho do (...)

, por Outras Palavras

O ano em que se abriram todos os caminhos

Nos textos de Outras Palavras, um roteiro para compreender 2011 – e examinar os desafios que virão
Da Redação
Foi um ano para não esquecer. Em 2011, as multidões árabes sacudiram ditaduras que duraram décadas. As praças de muitas capitais do Ocidente disseram que é preciso reinventar a democracia. A (...)

, por IHU

‘Precisamos nos livrar da palavra desenvolvimento, mesmo que ela venha acompanhada do adjetivo sustentável’. Entrevista com Carlos Alberto Pereira Silva

O conceito de decrescimento surge “diante do desafio da mudança nos rumos da civilização ocidental”, esclarece o pesquisador Carlos Pereira à IHU On-Line. Para ele, a superação do modelo desenvolvimentista ocidental está imbricada na incorporação do “princípio de responsabilidade”. Pensar outro modelo de (...)

, por IHU

Transgênicos contaminam as sementes crioulas. Entrevista especial com Magda Zanoni

“Há risco de consumo de transgênicos porque inexistem estudos epidemiológicos que comprovem a não existência de riscos”, declara a bióloga.
Embora tenha crescido a produção de transgênicos no mundo, não é possível comprovar os benefícios agrícolas e econômicos da transgenia. De acordo com a organizadora do (...)

, por Carta Maior

Greve geral repudia pacote de arrocho para Portugal

Maurício Hashizume - De Coimbra (Portugal), especial para a Carta Maior

Trabalhadores portugueses cruzaram os braços numa greve geral contra as medidas de arrocho dotadas pelo governo. O contestado pacote prevê meia hora a mais de trabalho por dia sem aumento de remuneração, corte de salários e de subsídios de Natal e de férias para funcionários públicos, aumento de (...)

, por HENDERSON Hazel

Apesar da grande depressão, a economia verde dá passos de gigante

IPS

“Nós reconhecemos as finanças como parte dos bens comuns globais”, afirma a organização Transforming Finance em uma declaração assinada por financistas profissionais de todo o mundo que criticam o atual “cassino” dos mercados de capitais.
O “financialização” produziu a bolha global da dívida. É (...)

, por CHOMSKY Noam

Chomsky debate futuro dos novos movimentos

Outras Palavras

Três meses depois de iniciado em Nova York, o movimento das ocupações de praças, nos Estados Unidos, continua mobilizado e capaz de produzir surpresas. Espalhou-se por dezenas de cidades. Enfrenta agora, além de investidas pontuais da polícia, o avanço do inverno. Mas além de organizar, (...)

, por Outras Palavras

Uma nova guerra dos medicamentos?

Por Daniela Frabasile

Produção da China e Índia ameaça oligopólio que controla indústria farmacêutica. Países ricos querem recorrer a patentes para conservar poder
Marcada em 2011 pela abertura do debate sobre o reconhecimento do Estado Palestino, a Assembleia Geral das Nações Unidas deste ano foi precedida, como de (...)

, por DANIEL Paulo

Que tal mudarmos a economia?

Carta Capital

Falar de processos em curso é sempre arriscado. Mas o risco é muito maior quando nos propomos a excogitar sobre as consequências de um processo como este – a crise econômica global –, cuja característica mais notável é a ocorrência de deslocamentos bruscos, de intensidade máxima que tornam difíceis, ou (...)

, por Carta Maior

Rio+20 está ameaçada pela crise econômica global, diz governo

Problemas financeiros na Europa e de atividade nos EUA não estimulam países a debater questões ambientais, vistas como ’perda de tempo’. Para secretário-executivo do ministério do Meio Ambiente, Francisco Gaetani, Rio+20 só dará certo com pressão popular. Pessimista, pesquisador governista acha que (...)

, por DANIEL Paulo

Que tal mudarmos a economia?

Carta Capital

Falar de processos em curso é sempre arriscado. Mas o risco é muito maior quando nos propomos a excogitar sobre as consequências de um processo como este – a crise econômica global –, cuja característica mais notável é a ocorrência de deslocamentos bruscos, de intensidade máxima que tornam difíceis, ou (...)

, por BOFF Leonardo

A Terra se defende: faz diminuir o crescimento

Hoje é vastamente aceita e entrou já nos manuais de ecologia mais recentes (cf. R. Barbault, Ecologia Geral, Vozes 2011) a ideia de que a Terra é viva. Primeiramente, ela foi proposta pelo geoquímico russo W. Vernadsky na década de 1920 e retomada nos anos 1970, com mais profundidade por J. Lovelock (...)

, por NOVAES Regina

Quem tem medo de sobrar?

Carta Capital

O que há em comum entre os jovens espanhóis, chilenos e ingleses que têm aparecido nas manchetes dos jornais e em noticiários televisivos em todo mundo? Uma primeira resposta aposta na diferença: jovens espanhóis e chilenos “participam” do jogo democrático enquanto os jovens ingleses são vândalos que (...)

, por MARTINS Antonio

Crise e o Brasil: as duas saídas de Dilma

Outras Palavras

A presidente fez um discurso corajoso em São Paulo. Mas o governo (ainda?) não caminha na direção de suas palavras
As crises permitem conhecer melhor os governantes. A fase brilhante do governo Lula começou precisamente em 2008, na primeira onda das atuais tempestades financeiras. Quando percebeu (...)

, por SANTOS Boaventura de Sousa

Os limites da ordem

Agência Carta Maior

Os violentos distúrbios ocorridos na Inglaterra não devem ser vistos como um fenômeno isolado. Eles representam um perturbador sinal dos tempos. Sem se dar conta, as sociedades contemporâneas estão gerando um combustível altamente inflamável que flui nos subsolos da vida coletiva. Quando chegam à (...)

Estrutura social e formas de consciência II

Editora Boitempo, 2010, 376 páginas, R$ 56,00

Com o segundo volume de Estrutura social e formas de consciência, a grande obra do filósofo húngaro István Mészáros revela uma iluminadora sistematização metodológica da dialética da estrutura e da história, radicada na abordagem marxiana.
Assim como Marx em sua época, Mészáros combate as mistificações (...)

, por CASTELLS Manuel

“Não é crise. É que não te quero mais”

Manuel Castells diz que, diante das novas turbulências financeiras, é preciso propor grandes mudanças — entre elas, reinvenção da democracia
Por Manuel Castells, La Vangardia | Tradução Cauê Seigner Ameni
Quando milhares de [jovens] indignados, [que ocuparam as praças da Espanha], tiram de foco a (...)