Tous les articles et traductions

A Usinagem do capital e o desmonte do trabalho

Expressão Popular, 264 páginas, R$ 20,00

O livro de Adriano P. Santos oferece um quadro rico e particular da capital agroindustrial das região de Ribeirão Preto, imprescindível para entender o desenvolvimento e a expansão do setor sucroalcooleiro que vem ocorrendo no Brasil, especialmente a partir do início dos anos de 1990, com a nova (...)

, por Envolverde

Grandes corporações geram crise alimentar

por Frank Mulder

Esqueçam os especuladores e os agrocombustíveis. A verdadeira causa da contínua crise alimentar são as corporações do setor, porque espremem a agricultura, disse o professor holandês Jan-Douwe van der Ploeg. A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) reuniu em setembro vários (...)

, por Inter Press Service (IPS)

Dados contra a água engarrafada

Emilio Godoy

O México é o país do mundo que consome maior volume de água engarrafada por pessoa, fato que alarma as organizações não governamentais porque evidencia a precariedade no acesso a água potável. A sociedade civil organizada também destaca a direta responsabilidade da indústria do setor nesta negativa (...)

, por Intervozes

Contribuições para a Construção de Indicadores do Direito à Comunicação.

Intervozes apresenta livro que traz contribuições para o desenvolvimento de meios para a população aferir a efetivação do direito à comunicação em determinada cidade, estado ou país. A publicação foi apresentada no debate e lançamento da publicação sobre Indicadores de Desenvolvimento da Mídia, editada pela (...)

, por ADITAL

Qual o limite da propriedade da terra? Entrevista com Gilberto Portes

Em setembro deste ano, será realizado o Plebiscito Popular pelo limite da terra que visa pressionar o Congresso Nacional para limitar o tamanho máximo da propriedade e uso dela por estrangeiros. Em entrevista à IHU On-Line, realizada por telefone, Gilberto Portes, do Fórum Nacional pela Reforma (...)

, por Carta Maior

G-20: Reduzir gasto público sem afetar crescimento. Como?

Ao final da reunião de cúpula do grupo dos 20 países mais ricos do mundo, realizada neste final de semana no Canadá, governos se comprometeram a reduzir pela metade seus déficits até 2013. Já a proposta de criar um imposto global sobre transações financeiras não foi aprovada. As duas posições que se (...)

, por Carta Maior

Tributação desigual e miséria, saldos da hegemonia neoliberal

por Hideyo Saito

Sistemas tributários favoráveis aos ricos são herança da fase de hegemonia neoliberal no mundo, consolidada a partir do final dos anos 1970. Houve ampliação do fosso entre ricos e pobres e aumentou a miséria e a fome no mundo, em pleno século XXI, quando a humanidade dispõe de meios técnicos e recursos (...)

, por Carta Maior , ESCRIBANO Marcela

O DNA de Piñera e o drama chileno

No rastro de destruição deixado pelo terremoto, também ruiu uma parcela da ideologia enaltecedora do modelo neoliberal que Piñera representa. Diante da tragédia, salta aos olhos do mundo a debilidade da rede de proteção social do país. A ajuda pública demorou inexplicavelmente a chegar a cidades (...)

, por SAKAMOTO Leonardo

Etanol: megaempresas, trabalho escravo e responsabilidade social

Blog do Sakamoto

A ETH Bionergia, pertencente ao Grupo Odebrecht, anuncia hoje o acordo de união com a Brenco, criando umas das maiores empresas do setor sucroalcooleiro no país, capaz de, em três anos, produzir 3 bilhões de litros de álcool. O setor continua se consolidando – ou se concentrando, dependendo do ponto (...)

, por ARRUDA Marcos

Educação para uma economia do amor

Qual a educação para um ser humano em processo de emancipação de seu trabalho, conhecimento e criatividade? É esse o questionamento que o economista e educador Marcos Arruda procura responder ao longo dessa obra.
Amparado pelos trabalhos de educação de jovens e adultos que têm vivenciado e por (...)

, por Le Monde diplomatique (Brasil)

Por novos paradigmas de produção e consumo

Por Leandro Pereira Morais e Adriano Borges Ferreira Costa

O fenômeno da 2ª Revolução Industrial e Tecnológica, ocorrido no último quarto do século XIX marcou uma nova era do desenvolvimento capitalista no mundo, dando início ao ciclo do motor à combustão. Constituiu- se, de fato, um novo padrão de produção e de consumo, com base em modernos sistemas de produção (...)

Nouveautés

Formations

Ressources documentaires

Campagnes

À lire sur les sites des membres

Agenda

Tout l'agenda